21/09/2009 11:25

Nota sobre exercício ilegal da profissão de assistente social no Estado do Espírito Santo

O Conselho Regional de Serviço Social da 17ª Região (CRESS-17) vem a público comunicar que tem aumentado consideravelmente a ocorrência de exercício ilegal da profissão de assistente social no Estado do Espírito Santo. Trata-se de pessoas sem habilitação ao exercício profissional de assistente social que se apresentam enquanto assistentes sociais e até ocupam cargos privativos em instituições públicas e privadas.

 

É importante observar que, sem o regular registro no CRESS, mesmo bacharéis em Serviço Social ou estudantes de Serviço Social não podem responder enquanto assistentes sociais. Pela Lei 8662/93, somente podem exercer a profissão de assistente social os graduados em curso de Serviço Social reconhecido pelo Ministério da Educação - MEC após inscrição no Conselho Regional de Serviço Social – CRESS.

 

Vale lembrar, ainda, que o protocolo de registro recebido no ato do requerimento de inscrição também não confere habilitação imediata; serve apenas para comprovar a entrega da documentação necessária à inscrição por parte do requerente. Tal documentação deve ser analisada pela Comissão de Inscrição do CRESS para posterior homologação da inscrição pela Diretoria do Conselho.

 

Somente após o cumprimento dos trâmites acima referidos o requerente receberá o documento de identidade profissional, emitido pelo CRESS e entregue na oportunidade do Seminário de Orientação Profissional (prazo de 60 dias a contar da data do requerimento). Somente esse documento confere habilitação profissional.

 

Diante do exposto, alertamos a todos para a observância dos critérios estabelecidos por lei para o exercício profissional de assistente social. Caso contrário, pessoas que se passem por assistentes sociais responderão por exercício ilegal de profissão e falsidade ideológica. Instituições que empreguem pessoas nessa situação, responderão por conivência e, particularmente nos casos de estagiários em substituição ao profissional, a instituição empregadora responderá junto à Delegacia Regional do Trabalho.

 

Também os assistentes sociais que forem coniventes com situações como essa são passíveis de responder a processo ético junto ao CRESS. A todos que leem essa nota, pedimos que fiquem atentos e comuniquem imediatamente o CRESS caso tenham ciência de situações como a que ora se apresenta.

 

Em defesa da profissão de assistente social. Pela garantia da qualidade dos serviços prestados à sociedade e do compromisso ético.

 

 

Fonte: CRESS-17

 

Voltar para notícias do conselho...

Direto do Conselho

dot Sede do CRESS 17 sofre vandalismo. Diretoria repudia o fato

Atos de vandalismo foram praticados contra a sede do Conselho durante o não funcionamento do mesmo, do dia 28 outubro a 02 de novembro, devido aos feriados do Dia do Servidor Público e Dia de Finados, respectivamente.

 

Clique aqui.

dot “O meu partido é um coração partido”

Cress-17 convida a categoria a refletir sobre as eleições de 3 de outubro à luz dos princípios do Projeto Ético Político da profissão

 

Clique aqui.

dot Nota sobre exercício ilegal da profissão de assistente social no Estado do Espírito Santo

CRESS-17 vem a público comunicar que a prática tem aumentado no Estado

 

Clique aqui.

dot Todas as notícias do conselho...

Jornal Visão - CRESS-ES

Jornal impresso