Tweetar


NUCRESS Norte discutiu resolução que dispõe sobre a emissão de pareceres, laudos, opiniões técnicas conjuntos entre o/a assistente social e outros/as profissionais Imprimir
Ter, 28 de Novembro de 2017 05:46

Em 22 de novembro de 2017 ocorreu mais um Encontro do NUCRESS-Norte, enquanto estratégia de alcançar os/as profissionais inseridos/as nos municípios do interior do Estado, na perspectiva de interiorização das ações do CRESS-17ª Região.

 

O município escolhido para sediar esse encontro foi Sooretama, por ter sido demandado pelos/as que atuam nesta cidade no Encontro do NUCRESS de Maio deste ano, que ocorreu em Colatina. A discussão temática foi sobre a Atuação do Serviço Social nas Equipes Inter-Multidisciplinares, sendo a conselheira Pollyana Pazzolini a facilitadora.

O tema trabalhado nos encontros dos NUCRESS foi escolhido pelo/as profissionais de base que participaram das reuniões deste ano.

 

A conselheira presidenta da atual gestão do CRESS-ES, destacou a importância dos/das assistentes sociais conhecerem as normativas e os direcionamentos da profissão, conhecimento tal que ela considera ser indispensável para atuação do profissional em equipes, sejam elas multi ou interdisciplinares e que delimita qual será a atuação do assistente social e seu objeto de trabalho.

 

Segundo afirmou, ter em mente a demarcação do seu papel diante de outros/as profissionais, evita que o/a assistente social  se torne mero executor de tarefas ou realize funções fora de sua competência profissional, além de impedir a “diluição” da sua profissão diante das outras.

 

Pollyana apresentou, entre outros materiais, algumas resoluções do CFESS que tratam do assunto e teve destaque a Resolução CFESS 557/2009,  que dispõe sobre a emissão de pareceres, laudos, opiniões técnicas conjuntos entre o/a assistente social e outros/as profissionais,  e gerou diversos questionamentos dos/das presentes. Houve também rico debate acerca das informações compartilhadas dentro das equipes que o/a  assistente social compõe e a demarcação do que deve ser considerado sigiloso.

 

O debate foi muito rico com muitas colaborações dos/das profissionais que participaram, além das contribuições dos/das conselheiros presentes e da Agente Fiscal, representante da COFI.